Designer, cuide do seu Marketing!
, by : Margareth Domingues

Vamos falar sério! “O que você quer para sua carreira como Designer?”

Pegar uns trabalhinhos freelancers que pintam no seu caminho e sobreviver trabalhando com design? Ou ter prazer em realizar projetos que sejam maiores, mais motivadores, e que você definiu como interessantes e importantes na sua carreira, e o melhor de tudo, ganhando bem para realizá-los?

Se você escolheu a primeira opção, é porque “do jeito que tá, tá bom”, então pode parar de ler este artigo agora! Aqui, vou falar com quem quer ser crescer, e leva a sério seu sucesso profissional.

Ah! Se você ainda não começou nessa carreira, mas a segunda opção te pareceu melhor, continue lendo esse artigo, porque vou falar agora sobre Marketing para Designers.

Marketing é um conceito que não pode faltar no vocabulário de nenhum profissional que deseja se projetar no mercado e ter sucesso. No seu conceito mais básico, “marketing é a ciência e a arte de explorar, criar e entregar valor para satisfazer as necessidades de um mercado-alvo com lucro.“



Analisando somente essa frase que pertence ao autor Philip Kotler, eu te pergunto: “Quais são as ações que você tem realizado para explorar, criar e entregar valor ao seu mercado, de modo que suas receitas sejam tão lucrativas como você planejou?”

O que? Você não realizou nenhuma ação? Você não planejou? Então, você pode ser do tipo que “não age”, “reage”;  que “não planeja”, só “executa”.  É provável também que você não esteja tendo o resultado financeiro que você esperava ter na sua profissão. Pode ser que você “não crie” as oportunidades para potenciais clientes conhecerem você e seu trabalho. E na hora de entregar seu projeto ao cliente, talvez você se concentre apenas em entregar aquilo que o cliente te pediu, sem tentar compreender em profundidade, quais são os problemas que  levaram o cliente até a solicitação daquele projeto. Que resultados concretos seu projeto precisa trazer pra ele?

Se você se identificou com uma dessas situações, saiba, que para explorar o potencial que seu mercado tem, e para atrair mais e melhores clientes, que te proporcionam os melhores lucros, você tem que fazer o seu Marketing.

Fazer marketing, não é apenas entregar um design bonito, não é apenas uma maquiagem de bom moço, que alguém faz para parecer melhor. É realmente mudar internamente seus procedimentos, processos, posicionamento, encontrar diferenciais que justifiquem, sua nova postura e seus preços mais altos, porque clientes não compram produtos e serviços, eles compram “valor”. E a palavra “valor” não significa preço, mas sim, aquilo que agrega benefícios e resultados.

Por exemplo: quando você vai comprar um celular, existe um número grande de marcas e modelos para escolher, uns mais caros, outros mais baratos. Todos cumprem a mesma “função” de realizar camadas telefônicas e incorporam diversos aplicativos que facilitam sua vida. Mas ao invés de comprar as marcas mais baratas, você compra um muito mais caro. E porque você faz isso, se os dois possuem as mesmas funções? A resposta é simples: por uma série de benefícios emocionais e racionais que te levam a crer, que aquele produto é melhor, seja porque possuem sistemas operacionais mais eficientes, porque são mais práticos, mais ágeis, ou porque a marca é mais conhecida e vai te garantir mais sucesso entre seus amigos, e uma série de outros “valores” que você vê no produto e na marca… É assim que se processam as escolhas de consumo. Independente você preço, você vai dar um jeito de comprar o mais caro, porque você não está comprando pelo preço, mas sim, pelo “valor” que aquilo pode agregar em sua vida. Da mesma forma, um cliente vai escolher você, se seu “valor” for maior do que seu concorrente.

ENTÃO VAMOS COMEÇAR A ENTENDER “O QUE PRECISA MUDAR”, PARA VOCÊ ENTRAR EM UM CICLO DE CRESCIMENTO NA SUA CARREIRA!



Primeiro, você precisa mudar a forma de se enxergar, você não pode mais se posicionar como um profissional sem importância estratégia nas organizações, como muitos fazem por aí, desvalorizando a si e a toda a nossa categoria.

Segundo, você precisa ter uma forma de produzir e “entregar valor” através do seu trabalho, para assim, ser reconhecido pelos resultados que você traz… e é claro, depois comunicar suas vantagens, benefícios e seus diferenciais ao mercado.

Eu vou arriscar dizer que ser Designer é fácil, tá cheio de gente no mercado que aprende a mexer com programas gráficos e sai por aí oferecendo um trabalhinho aqui e outro ali, e de repente, ele já se intitulou como Designer… viu como é fácil? Difícil é fazer trabalho bem feito, com resultados para o cliente. Difícil é ser um Designer de sucesso. Difícil é ser reconhecido como um profissional acima da média.

E eu, nem estou aqui dizendo que essas pessoas que entraram no mercado pelo caminho mais curto, não poderão ter sucesso. Porque vai vencer nesse mercado, quem investir em conhecimento, quem tiver maior capacidade de ser empreendedor, que tiver a maior capacidade de compreender “como” funciona o marketing e usar e abusar das suas ferramentas e estratégias, para se lançar como uma “marca” neste mercado”!

E o primeiro preceito de marketing para se lançar como uma marca, é entender o mercado e os cenários desse mercado, e pra isso, você precisa de informações sobre o ele, e só depois de ter clareza, você vai definir seu posicionamento de mercado! Para isso, é preciso conhecer, todas as demandas que o mercado possui em relação aos serviços de design. Estude sobre elas e veja aquelas que você tem mais afinidade e habilidades!

Defina primeiro um mercado macro, isto é, um mercado em estado bruto, por exemplo: Educação, Tecnologia, Serviços, etc…  Analise o tamanho desse mercado, e defina qual o perfil de empresa você quer atender. Estamos aqui falando de segmento, perfil, porte, potencial de comunicação dessas empresas, entre outras informações que qualquer livro de marketing pode te ajudar a entender. 

Definido seu mercado (ainda de forma ampla), observe quem são seus concorrentes (especialmente aqueles que estão se dando bem no seu mercado) e tente analisar suas estratégias para abordar, manter, se relacionar e entregar valor aos clientes dele.

Observe com mais atenção o mercado e os concorrentes juntos, e tente identificar dentro dele, nichos e subnichos de atuação. Observe se há algum nicho e subnicho ainda pouco explorado dentro do mercado que você escolheu atuar e que possa te revelar oportunidades e mostrar potencial de lucro.

Vou te dar um exemplo: o mercado de educação é amplo e dividido em diversos nichos de ensino: jardim, ensino fundamental, ensino médio, cursos pré-vestibular, curso superior, pós-graduação lato-sensu e strictu sensu, cursos livres, entre outros. A maioria deles pode ser presencial ou a distância. Escolhendo um desses nichos: Pós-graduação EAD (ensino à distância), vemos, que ele está crescendo a passos largos. Dentro do ensino EAD, há muitos designers trabalhando com interações com o usuário (Designer UI e UX), desenvolvendo interfaces para cursos e para as atividades existentes dentro dele. 

Mas outras áreas do Design, estão sendo demandadas para este mercado, como por exemplo, o Designer de Aplicativos, que atua criando aplicativos que serão utilizados para complementar as atividades da plataforma; o Designer de Games, que é responsável pela Gamificação dos Cursos; entre outros profissionais de Design que atuam desenvolvendo uma série de outras atividades específicas dentro desse mercado da educação.

O principal profissional demandado para o nicho EAD, é o Designer UI/UX, mas dentro desses nichos da educação, várias ferramentas de comunicação e interação entre professor/aluno, estão surgindo e sendo utilizadas para se melhorar a relação ensino/aprendizagem, demandando por profissionais de Design com novas qualificações e que podem representar verdadeiras “moscas brancas” no mercado.

Todas essas outras atividades de Design que estão sendo demandadas, são consideradas subnicho de atuação para você, e podem representar oportunidades expressivas de crescimento e ganhos bem consideráveis.

É muito comum, que designers bem sucedidos, sejam aqueles que, ao visualizar subnichos, em estágio inicial, acabem se especializando e se posicionando nestes mercados, atendendo esses nichos específicos com mais sucesso e melhores resultados financeiros.

Visto isso, você já tem um bocado de informação, para estabelecer seu POSICIONAMENTO DE MERCADO.

Ah! É muito bom lembrar, que seu mercado não é Business to Consumer*”, mas sim, Business to Business**”, então sua postura, linguagem, vestimenta, tem que estar sempre de acordo com este mercado. Não que você tenha que andar de terno. Mas seja coerente! No dia das reuniões com o cliente, esqueça as bermudas, havaianas ou outras roupitas muito confortáveis que você usa para trabalhar em seu home office.

No mercado empresarial “imagem é tudo”. Não perca seu estilo, mas tenha cuidado com o impacto negativo que seu visual pode causar em seu cliente. Como diz o velho ditado, a primeira impressão é a que fica, e se você quer de fato alcançar objetivos maiores em sua carreira, esse é um ponto muito importante.

E essa é a primeira lição de marketing que eu quero te ensinar!

Então fica aqui, uma série de ensinamentos importantíssimos pra você refletir e colocar em prática para introduzir o Marketing em sua carreira.

Autor: Margareth Domingues – Sua professora de Design online.

* Business to Consumer – é um termo utilizado no marketing para especificar que um negócio, serviço ou produto, é feito para o público consumidor.

** Business to Business – é um termo utilizado no marketing para especificar que um negócio, serviço ou produto, é feito para o público empresarial.

Deixe uma resposta